Meditação

5 razões para incluir meditação no currículo das escolas

Aluna de escola medita em São Paulo
Escrito com carinho por Fernanda Haskel

A filosofia budista prega a meditação como a ferramenta para o desenvolvimento da calma e paz interior.

Segundo Dalai Lama, “Se todas as crianças de oito anos aprenderem meditação, nós eliminaremos a violência do mundo dentro de uma geração “.

Será mesmo? Para o especialista em educação Will Stanton, não custa tentar!
Autor do livro Revolução na Educação, ele publicou artigo no site The Mind Unleashed em que cita uma porção de razões para a prática da meditação ser inserida em todas as escolas do mundo. Reproduzimos cinco motivos, abaixo.

  1. Crianças que praticam meditação têm mais foco e concentração;
  2. Elas têm mais facilidade em se relacionar com o próximo e desejam menos fazer o mal;
  3. Elas são menos competitivas;
  4. Elas são menos estressadas e têm menos tendência a adoecer;
  5. Elas se tornam adultos mais realizados, uma vez que a prática da meditação na idade escolar ajuda a descobrir, desde cedo, suas verdadeiras paixões, interesses e potenciais criativos.

Na cidade de São Paulo, na instituição O Visconde, desde o início de 2014, os alunos praticam yoga e meditação, todos os dias, antes das aulas e, como consequência, aumentaram suas notas. O colégio também registrou diminuição nos casos de indisciplina.

Saiba mais em: Alunos melhoram notas com prática de yoga.

A prática diária de meditação nas escolas é, inclusive, recomendada pela Sociedade Internacional de Meditação. No entanto, as instituições ainda resistem, uma vez que precisariam aumentar sua carga horária para incluir a atividade extracurricular na grade.

Mas quem sabe, com a divulgação dos benefícios da meditação, logo teremos meditação em todas as escolas!

Publicado originalmente em: The Greenest Post

Deixe um comentário ;)

WE LOVE YOGA