Yoga

A vida e a obra do Professor Hermógenes

Professor Hermógenes precursor do Yoga no Brasil
Escrito com carinho por Yoga Sampa

O professor Hermógenes talvez seja a personalidade mais conhecida e amada da comunidade do yoga. Nós apostamos que sim, e por isso fazemos essa homenagem póstuma de aniversário. Hoje, no dia 9 de março, ele estaria completando mais um de seus vitoriosos e iluminados anos de vida.

Sua morte, em março de 2015, ainda ecoa em nossos corações, na cadência de versos, reflexões e ensinamentos. Nosso grande mestre precisa ser lembrado, e suas lições propagadas a todos os praticantes de yoga de todas as modalidades existentes, sejam eles experientes ou iniciantes, não importa.

José Hermógenes de Andrade Filho, nosso querido Professor Hermógenes, foi o grande precursor do yoga no Brasil e fonte de inspiração para muitos dos grandes nomes da atualidade. O yoga que conhecemos hoje não seria o mesmo se não fosse por seu trabalho de dedicação e fé.

O encontro com o yoga

Hermógenes nasceu em Natal, no Rio Grande do Norte. Em meio a sua carreira militar, na década de 60, e após um diagnóstico de tuberculose avançada aos 35 anos de idade, Hermógenes descobriu os benefícios da yoga para a saúde física e mental e daí em diante nunca mais parou de trabalhar na sua divulgação, chegando a realizar doutorado em Yogaterapia pelo World Development Parliament da Índia e a conquistar o título de Doutor Honoris Causa pela Open University for Complementary Medicine.

Professor Hermógenes ensina um grupo de jovens

Em 1988, ele foi escolhido o Cidadão da Paz do Rio de Janeiro em 2000 recebeu a Medalha Tiradente, conferida pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, pelos benefícios à saúde que suas obras, imbuídas de seu espírito amoroso e sua visão espirtitual sincretista, trouxeram para os brasileiros.

Num raro passeio ao centro da capital carioca, entrou na livraria Leonardo da Vinci, na Avenida Rio Branco. Em uma das prateleiras, chamou-lhe a atenção um livro em inglês sobre o poder curativo da ioga. Era teórico, e serviu para acender sua curiosidade sobre o tema. Menos de um mês depois, queria mais. Voltou e encontrou outro, em francês, com exercícios. Praticava no chão do banheiro, gelado e impróprio para quem acabara de sair da tuberculose. Fazia os exercícios escondido da mulher – estava proibido pelos médicos de pegar sol, tomar banho de mar, andar descalço e manter qualquer atividade física. “Eu ficava ali todos os dias por uma hora, praticando. Foi assim quase um ano, e então minha vida mudou. Emagreci, esculpi o corpo, acabaram-se as gripes e a insônia”, afirma. Revista Época – Novembro de 2007

O escritor e poeta

O primeiro livro do mestre nasceu quase três anos depois de seu primeiro contato com o tema. Hermógenes estudou o que pôde em publicações estrangeiras, consultou médicos e psiquiatras para escrever o manual de yoga em língua portuguesa, que causou impacto há mais de meio século.

Professor Hermógenes realiza ásana yoga

Ao longo de sua vida, Hermógenes escreveu mais de 30 livros sobre yoga e bem-estar, traduzidos em diversas idiomas, dentre os quais se destacam Yoga para Nervosos e Autoperfeição com Hatha Yoga, publicado em 1960, que se tornou um de seus livros mais conhecidos. Em 2012 foi lançada a biografia Hermógenes: Vida, Yoga, Fé e Amor, escrita por um discípulo.

A obra completa do Professor Hermógenes abrange mais de trinta títulos, dentre os quais:

  • Autoperfeição com Hatha Yoga
  • Mergulho na paz
  • Canção Universal
  • Yoga para Nervosos
  • Convite a não violência
  • Superação
  • Setas no caminho de volta
  • Dê uma chance a Deus
  • Deus investe em você
  • O essencial da vida
  • O presente
  • Yoga : Caminho para Deus
  • Saúde na terceira idade
  • Superação
  • Yoga : paz com a vida
  • Silêncio, Tranquilidade, Luz
  • O que é Yoga
  • Cintilações I e II
  • Saúde plena : Yogaterapia
  • Coleção ‘Sabedoria de Hermógenes’, vol. 1: ‘Amor Universal’ (org. e seleção de textos: Fredímio B. Trotta). Nova Era (Grupo Editorial Record), 2011.
  • Coleção ‘Sabedoria de Hermógenes’, vol. 2: ‘Ânimo de Viver’ (org. e seleção de textos: Fredímio B. Trotta). Nova Era (Grupo Editorial Record), 2011.
  • Coleção ‘Sabedoria de Hermógenes’, vol. 3: ‘Saúde para o Corpo e o Espírito’ (org. e seleção de textos: Fredímio B. Trotta). Nova Era (Grupo Editorial Record), 2011.

Filmes e entrevistas do Professor Hermógenes

Junto da ascensão dos estudos e do sucesso das práticas ensinadas pelo professor, seu nome propagou-se por todo o país e trouxe fama a Hermógenes, que logo passou a ser reconhecido como a principal referência do yoga, recebendo cartas e convites para participar de inúmeras gravações e entrevistas.

‘‘Sou egoísta e ainda tenho orgulho. Sinto prazer no aplauso. Não deveria mais sentir isso’’ – Professor Hermógenes

Professor Hermógenes realiza ásana yoga

Apesar disso, nosso mestre foi muito hábil em assumir esse importante papel de liderança e foi embaixador da cultura do yoga sem levantar polêmicas ou distorções. O filme Hermógenes Professor e Poeta do Yoga, produzido pela Bodhgaya Films em parceira com o Instituto Hermógenes, e com direção e roteiro de Bárbara Tavares, inclui material inédito e raro de seu acervo pessoal de viagens à Índia, palestras, seus encontros com mestres como Sai Baba, Chico Xavier e entrevistas com personalidades brasileiras como Marcelo Yuka e Jackson Antunes.

Uma das últimas e mais marcantes participações do Professor Hermógenes se deu nas gravações para o documentário Eu Maior (2013), dirigido por Fernando Schultz e Paulo Schultz. O documentário é uma reflexão coletiva através de entrevistas com pessoas de diferentes áreas de atuação, incluindo atores, líderes espirituais e teóricos, sobre questões da sociedade contemporânea e a busca pela felicidade.

A fala do professor é um emocionante relato e uma rica reflexão, que transborda sabedoria e revela em seu timbre calmo e devoto a jornada de transformação e aprendizado de um grande homem. Assista a um trecho:

A morte e o Instituto Hermógenes

O Professor Hermógenes faleceu aos 94 anos, em uma sexta-feira, no dia 13 de março de 2015. O Rio de Janeiro lamentou a morte de um dos seus mais célebres e honrados moradores.

Na ocasião de sua morte, os principais jornais e veículos o reconheceram como ‘uma personalidade brasileira que inspirou a vida de muitas pessoas através da filosofia oriental, yoga e meditação, que ganha cada dia mais adeptos‘.

Apesar da sentida perda do nosso grande mestre, há de se celebrar a continuidade de sua obra. Seus ensinamentos permanecem vivos em sua vasta contribuição literária, na memória dos principais professores e praticantes do yoga, e no cotidiano do Instituto Hermógenes, que tem a missão de propagar os ensinamentos e a obra deste grande mestre.

O instituto oferece aulas baseadas no conjunto de técnicas do Hatha Yoga que leva o praticante a um equilíbrio físico, mental ,emocional e espiritual. Seguindo os preceitos de Hermógenes, o instituto prega que “o ensino do yoga deve respeitar a natureza interna de cada pessoa, despertando o autoconhecimento de forma lenta e progressiva onde resultará em uma nova forma  de  enxergar a vida”.

“O que mais acho bonito no meu avô é que ele vive o que sempre pregou. Faz o que sempre ensinou: a prática do bem”, diz o neto e discípulo João Thiago

Atualmente com sede no Rio de Janeiro, o instituto conta com salas, acessórios e professores especializados com o método Hermógenes para a prática.

Pesquisas e estudos de yoga no Instituto Hermógenes

O Instituto Hermógenes também disponibiliza cursos para o desenvolvimento e aprofundamento de professores de yoga que tenham como objetivo a disseminação do trabalho e método de Yoga Hermógenes pelo Brasil e exterior.

Uma mensagem eterna

Acredita-se que Hermógenes ensinou o yoga a mais de 2 mil alunos, dos quais muitos se tornaram professores e ajudaram a disseminar a filosofia e as práticas pelo Brasil. Na voz de muitos, novos e velhos conhecidos, ouve-se a vontade de expressar toda a gratidão que temos por esse grande mestre e precursor do yoga no Brasil.

Discípulo de Sri Sathya Sai Baba, defensor do Dharma e da verdade da vida, José Hermógenes de Andrade Filho será lembrado pelo seu jeito amoroso e fiel de ensinar, contando toda a tradição, sabedoria e prática do yoga, para muito além dos ásanas físicos.

A vida e a obra do Professor Hermógenes

Em artigo publicado no Dharmalog, o jornalista Nando Pereira nos conta que uma das últimas publicações do blog do Instituto Hermógenes antes do falecimento do seu fundador, foi um poema de amor à vida tranquila, livre e realizada, intitulado “Se“.

É uma grande reflexão de gratidão e declaração de devoção a uma vida que foi entregue e termina, ou essa é a intenção de terminá-la, sem ansiedade, sem conflito, sem discórdia, sem mentiras, sem abatimentos, mágoas ou revoltas, em confiança, paz, força, em entrega para ouvir, entender e servir, em autorrealização.

“Se, ao final desta existência”, começa Hermógenes, quase como uma despedida, mas também como uma reflexão profunda sobre o viver, sobre os caminhos do yoga e do trabalho sobre si mesmo que realiza a liberdade mais verdadeira, o autoconhecimento, ao amor e serviço ao outro, e uma vida de gratidão ao tempo e espaço divinos.

Poema do documentário Hermógenes – Deus me Livre de Ser Normal , produzido por Marcelo Buainain, e exibido pelo TV Cultura. Locução de Carlos Vereza.


Poema Se

Hermógenes

Se, ao final desta existência,
Alguma ansiedade me restar
E conseguir me perturbar;

Se eu me debater aflito
No conflito, na discórdia…Se ainda ocultar verdades
Para ocultar-me,
Para ofuscar-me com fantasias por mim criadas…Se restar abatimento e revolta
Pelo que não consegui
Possuir, fazer, dizer e mesmo ser…Se eu retiver um pouco mais
Do pouco que é necessário
E persistir indiferente ao grande pranto do mundo…

Se algum ressentimento,Algum ferimento
Impedir-me do imenso alívio
Que é o irrestritamente perdoar,E, mais ainda,
Se ainda não souber sinceramente orar
Por quem me agrediu e injustiçou…
Se continuar a mediocremente
Denunciar o cisco no olho do outro
Sem conseguir vencer a treva e a trave
Em meu próprio…

Se seguir protestando
Reclamando, contestando,
Exigindo que o mundo mude
Sem qualquer esforço para mudar eu…

Se, indigente da incondicional alegria interior,
Em queixas, ais e lamúrias,
Persistir e buscar consolo, conforto, simpatia
Para a minha ainda imperiosa angústia…

Se, ainda incapaz
para a beatitude das almas santas,
precisar dos prazeres medíocres que o mundo vende…
Se insistir ainda que o mundo silencie
Para que possa embeber-me de silêncio,
Sem saber realizá-lo em mim…

Se minha fortaleza e segurança
São ainda construídas com os materiais
Grosseiros e frágeis
Que o mundo empresta,
E eu neles ainda acredito…

Se, imprudente e cegamente,
Continuar desejando
Adquirir,
Multiplicar,
E reter
Valores, coisas, pessoas, posições, ideologias,
Na ânsia de ser feliz…

Se, ainda presa do grande embuste,
Insistir e persistir iludido
Com a importância que me dou…
Se, ao fim de meus dias,
Continuar
Sem escutar, sem entender, sem atender,
Sem realizar o Cristo, que,
Dentro de mim,
Eu Sou,
Terei me perdido na multidão abortada
Dos perdulários dos divinos talentos, Os talentos que a Vida
A todos confia,
E serei um fraco a mais,
Um traidor da própria vida,
Da Vida que investe em mim,
Que de mim espera
E que se vê frustrada
Diante de meu fim.

Se tudo isto acontecer
Terei parasitado a Vida
E inutilmente ocupado
O tempo
E o espaço
De Deus.
Terei meramente sido vencido
Pelo fim,
Sem ter atingido a Meta.

 

 

Deixe um comentário ;)

WE LOVE YOGA